header

Sedução Gastronómica :: Hot Dog Cascais. Os cachorros que são um mito.


header
Chamam-se oficialmente “Hot Dog Cascais”, mas para quem os conhece desde sempre são “os cachorros do Guincho”.

Se acha que um cachorro quente é apenas um cachorro quente ou acha que já provou o melhor cachorro quente do mundo, desengane-se. Nunca saberá o que é isso até provar um destes.

A “Hot Dog” é muito mais do que uma rulote de cachorros quentes. É um verdadeiro mito na vida de Cascais e um ponto de passagem obrigatório no roteiro dos turistas e dos habitantes. Que são um sucesso há quase 30 anos, ninguém duvida!

O cenário não podia ser mais idílico. O teto deste restaurante é pintado de azul céu e todas as janelas se debruçam sobre o possante Oceano Atlântico. O ar condicionado é a pureza do vento e os candeeiros, que simultaneamente aquecem os visitantes de inverno ou verão, são feitos de raios de sol.

Acomodados junto das falésias da praia do Mexilhoeiro, em Cascais, os “cachorros do Guincho”, como a maioria os conhece e chama, nasceram a 6 de Julho de 1986. Para quem os acompanha desde o inicio, é preferível não fazer contas… passaram… quase 30 anos!?… Proprietários e clientes, estão todos na mesma, é garantido! São os bons ares, do bravo oceano, que a todos conservam!

Até mesmo à Sally, a grande companheira e amiga desta saborosa viagem. E não saber quem é a Sally é não saber quase nada desta história. A Sally nasceu em 1974 e faz parte da vida da “Hot Dog Cascais”, desde o primeiro dia. A charmosa e irreverente carrinha desses tempos é agora pomposamente apelidada de vintage, mas conserva o estilo próprio de outrora. Carisma é o que não lhe falta!

A Sally, assim como os seus proprietários, António e Paula Novais, já conheceram três gerações de clientes habituais. Começaram por conhecer os jovens que muitas vezes vinham com os pais, que mais tarde lhes apresentaram os namorados ou namoradas… depois vieram os filhos e… a vida foi caminhando, para todos!

“Temos clientes que nos visitam há exatamente 29 anos, temos clientes que passam a ser amigos e alguns até passam a trabalhar connosco” – conta-nos Paula Novais. “Há namoros que aqui começam e acabam. Há pedidos de casamento, há despedias de solteiro… Em todos estes anos penso que a Sally e nós já presenciámos um pouco de tudo” – acrescenta.

Estando a caminho da praia do Guincho, quem vai fazer ou ver fazer surf naquela praia acaba por passar na carrinha ao final da tarde para relaxar, comer um cachorro ou beber qualquer coisa fresca e apreciar o por do sol. Não é por isso de estranhar que muitas vezes por ali repousem bastantes pranchas também. O ambiente não podia se mais descontraído, ou “boa onda”, termo que aqui se aplica na perfeição.

O clima e a paisagem que rodeia a “Hot Dog” são a natureza no seu melhor, tanto de verão como de inverno. O mar, ora calmo, ora revolto e toda a paleta de cores que convida à contemplação. As falésias, a sua vegetação e as rochas. O farol da Guia e o sol até desaparecer, tantas e tantas vezes num cenário de cortar a respiração. As gaivotas, que são presença assídua todos os dias, sobretudo ao final da tarde.

Além disso, a ciclovia e longa via pedonal que vêm desde o centro de Cascais e se prolongam até ao Guincho, ambas um claro convite a fazer uma visita, da forma mais saudável possível. Todos juntos são os pequenos-grandes detalhes que fazem deste lugar não apenas um spot onde se podem saborear uns deliciosos cachorros quentes, mas, acima de tudo, desfrutar de grandes momentos de beleza e sossego.

As gaivotas não são exatamente uma presença inteiramente desinteressada… as ariscas vigilantes das falésias estão habituadas a comer todos os dias os restos e as migalhas e, no final do verão, já vêm comer à mão sem terem medo. “Com bastante paciência e dedicação aprendemos que são uma espécie que, apesar de desconfiada, pode ser muito dócil” – confessa Paula, com manifesta ternura pelas suas visitantes.

Mas não são só as gaivotas que nunca esquecem o sabor do que ali encontram. Há clientes estrangeiros, de há muitos anos, que assim que chegam a Cascais de férias ou mesmo em trabalho, vão diretos à carrinha, dizendo que estão cheios de saudades. O mesmo se passa com portugueses a trabalhar ou a viver fora do país.

E qual é afinal o segredo, destes “simples” cachorros, que arrebatam e rendem corações e palatos há quase 30 anos?…

“O segredo dos cachorros é mesmo isso – segredo! Passa pela receita do pão que é exclusivamente feito por um padeiro só para nós, a combinação da receita de molhos que também é só nossa, e principalmente pela forma como são feitos, sempre da mesma forma há quase 30 anos.”

Mas nós, que há quase 30 anos sabemos de cor o que leva tantos Cascalenses, Lisboetas, Portugueses e cidadãos dos quatro cantos do mundo a correr até à “Hot Dog”, sabemos que há um segredo que pode ser revelado. O sucesso dos “cachorros do Guincho” está na alma. Na alma de quem há quase 30 anos os faz com tanta dedicação e na alma do lugar ímpar que os acolhe.
O resto? Tem mesmo que vir experimentar!

O mais simples – com batata frita e quatro molhos – o mais emblemático, com couve branca, couve roxa, cebola, cenoura, batata frita e queijo – um desafio à gravidade e um exercício de perícia para não perder pitada! – o mais ousado, com chili, o até mesmo o vegetariano, só com vegetais ou o vegie dog, com salsicha de soja, a escolha é sua. O que não pode mesmo é visitar Cascais sem vir provar! Confesse, já lhe abrimos o apetite.

1

2

3

4

5

6

7

0 Comentários

Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*